O que é e como fazer o jejum que Deus aceita

Não faça regime para Deus!

Jejum pode ser uma mera abstinência de alimentação, por falta do que comer, por falta de apetite ou por alguma necessidade médica. Todavia, nos termos bíblicos e com caráter devocional, o jejum não é mera abstinência de alimentação, embora envolva isso também.

Jejum bíblico é antes de tudo o reconhecimento de que “nem só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus”. É o privar-se da comida, das distrações e ansiedades da vida material para alimentar a alma e nutrir-se da devoção à Deus, com vistas a manifestar gratidão, contrição ou petição. Quem jejua para dedicar-se ao fortalecimento da alma e do espírito o faz por reconhecer que o homem é mais do que matéria e necessita de mais força do que os alimentos podem prover.

Para quê é o jejum

O jejum foi praticado por muitos personagens bíblicos e por comunidades inteiras, com diferentes objetivos. Por exemplo, Ester e os judeus jejuaram com o propósito de receberem uma resposta favorável da parte do rei Assuero (Et 4.16). Daniel jejuou devido grande contrição pelo cativeiro babilônico e ansiedade por uma resposta de livramento (Dn 9.3).

Jesus jejuou por quarenta dias para dedicar-se exclusivamente ao Pai em oração e fortalecer-se para o início de seu ministério (Mt 4.1,2). Aos discípulos foi dito que a oração e o jejum eram necessários para o enfretamento dos poderes demoníacos (Mt 17.21). A igreja primitiva jejuava para receber de Deus direções e respostas (At 13.2,3).

Assim, o jejum tem caráter multifacetado. Mas é importante notar que o jejum está sempre ligado à oração, deixando claro que é uma ferramenta adicional (e não substitutiva) para vitórias espirituais. Ficar sem se alimentar enquanto também fica sem orar é de nenhuma serventia para Deus!

Como NÃO fazer um jejum

Algumas pessoas decidem: “vou tirar o dia hoje de jejum!”. Ótima iniciativa! Mas muitas delas erram no modo como jejuam: passam o dia inteiro na internet ou vendo televisão, alimentando o espírito das gorduras da imoralidade e embriagando a alma no vinho da irreverência. Outros passam o dia inteiro de jejum arrumando a casa, lavando as roupas ou capinando o quintal! Há os que passam o dia de jejum passeando no shopping ou conversando futilidades com os amigos pelas redes sociais.

Isso não é jejum! É regime! De nada valerá para fortalecer o crente espiritualmente. Ficar com o estômago roncando enquanto se distrai com mil ocupações terrenas, é um despropósito grande que em nada comove o coração de Deus!

Como fazer corretamente o jejum

Como já dissemos, o jejum deve estar aliado a oração e com vistas a nutrir a alma e o espírito. Portanto seguem algumas dicas para um jejum que agrada a Deus, independente do propósito que você tenha em mente:

– Comece o seu jejum com oração. Não tenha pressa, demore-se e derrame-se na presença de Deus. Ore por sua família, vizinhos, amigos, igreja, governo, missionários, doentes, presos… Você verá que não faltará gente por quem orar, mas faltará tempo!

– Cante louvores ao Senhor, adorando-o na beleza de sua santidade. O hinário de sua igreja (Harpa Cristã, Salmos e Hinos, Cantor Cristão, etc.) pode ser um ótimo auxílio nessa hora, com cânticos devocionais.

– Medite desapressadamente na Palavra de Deus, confiando que Ele falará ao teu coração. A Palavra de Deus é pão para a alma!

– Peça perdão a quem você ofendeu. Faça do seu dia de jejum o dia da reconciliação!

– Aproveite o dia para visitar um parente ou amigo enfermo, e faça por ele uma oração de fé por cura divina. Dê-lhe também a assistência que lhe for possível.

– Estenda sua mão para abençoar alguém que está precisando de sua ajuda. Uma simples doação para aliviar o sofrimento de alguém que se encontra em aperto é um jejum que agrada a Deus (Is 58.6,7)

– Fale do amor de Deus e da salvação de Jesus Cristo para seus parentes e amigos, quer presencialmente, quer virtualmente. Não desperdice seu dia de jejum em fofocas ou em contendas teológicas. Reparta com outros o pão espiritual com que estás a te alimentar!

– Não estendas teu jejum além do que teu organismo possa suportar, sem prejuízo para tua saúde física. Todavia, disciplina-te também para não voltares à mesa ao primeiro roncado do estômago!

Por último, quando fores encerrar teu jejum, novamente ora a Deus, crendo que estás agora mais forte do que quando começastes o jejum e confiando que o Senhor fará o que for melhor em relação as causas que apresentastes a Ele.